Inovação e impacto social: A trajetória do paraibano Carlos Vieira à frente da Caixa Econômica Federal

Na paisagem econômica e social ascendente do Brasil atual, poucas figuras se destacam com a mesma combinação de orgulho regional e visão de alcance nacional como Carlos Antônio Vieira Fernandes, o paraibano que ocupa a presidência da Caixa Econômica Federal. É uma figura emblemática e, à frente de uma das instituições financeiras mais importantes do país, compartilha sua visão sobre desenvolvimento econômico, inclusão social e a importância de parcerias estratégicas, como a estabelecida com o Sinduscon-JP, sempre evidenciando a influência de suas raízes na gestão da Caixa.

“Quando comecei minha trajetória como presidente do banco, tive uma grande missão: cuidar da Caixa Econômica Federal e ajudar a reduzir as distâncias sociais existentes em nosso país. Ou seja, ajudar os mais carentes. Esse é o espírito público que movimenta nosso banco,” destacou, sublinhando ainda o papel crucial do Sinduscon-JP como parceiro nessa jornada, uma verdadeira missão. A conexão entre a instituição financeira e a entidade transcende o âmbito profissional, refletindo um vínculo emocional profundo de Fernandes com sua terra natal.

Conexão com origens

Como um verdadeiro filho da Paraíba (município de Lagoa de Dentro), Carlos Vieira traz à tona a influência de suas raízes na condução dos negócios da Caixa. “Como paraibano e nordestino, ainda que à frente de uma estatal dirigida a todo país, não posso me desconectar de minhas origens, como canta o paraibano Chico César em ‘Paraíba, meu amor’: ‘O acaso da minha vida, um dado não abolirá, pois seguirás bem dentro de mim, como um São João sem fim’.”

Sua visão vai além do aspecto financeiro, abraçando o impacto social e cultural que o banco pode promover. “A Caixa é um banco transversal, dialoga com investidores, empresários, parlamentares e com a população brasileira; é a grande parceira dos municípios e dos estados brasileiros para promover o desenvolvimento econômico, investir em infraestrutura e alcançar a população mais desassistida com as políticas públicas e benefícios sociais do Governo Federal,” explicou, ressaltando a importância do diálogo com entidades representativas para uma gestão eficaz e inclusiva.

Geração de empregos

Durante entrevista ao jornalista Cândido Nóbrega para a Revista comemorativa aos 45 anos do Sinduscon-JP, lembrou que com ações a partir do mercado imobiliário, o banco ajudou a criar 1,3 milhão de empregos. Em 2023, a Caixa financiou 16.431 imóveis na Paraíba, dos quais 3.061 usados, totalizando R$2,95 bilhões em operações imobiliárias. Deste total, 13.394 imóveis foram financiados no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), destinado a famílias com renda bruta mensal de até R$ 8.000,00, sendo 1.464 imóveis usados e totalizando R$12,12 bilhões de recursos do FGTS.

Olhando para o futuro, Carlos compartilha planos ambiciosos para o setor da construção civil. “A Caixa seguirá apoiando o brasileiro no sonho da conquista da casa própria, mantendo-se líder de mercado no segmento imobiliário e protagonista no Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). Com uma originação de crédito recorde no imobiliário em 2023, com 694,3 mil imóveis financiados, beneficiamos mais de 2,7 milhões de pessoas com acesso à moradia própria,” afirma.

Meta até 2026

Além disso, a instituição planeja, em parceria com estados e municípios, contratar 2 milhões de novas moradias até 2026, tendo já contratado 500 mil unidades habitacionais somente em 2023.

“A Caixa investiu mais de R$15 bilhões em infraestrutura e saneamento em 2023, com um saldo total do banco para essa área de quase R$100 bilhões. Essas operações estão diretamente ligadas ao desenvolvimento nacional e fazem parte do escopo de atuação estratégica do banco para os próximos anos,” enalteceu, evidenciando o compromisso com o desenvolvimento regional e nacional.

Assim, Carlos Vieira representa mais do que um presidente de banco; é um verdadeiro embaixador da Paraíba no cenário nacional, trazendo consigo os valores, a cultura e o espírito de sua terra natal. Suas palavras e ações refletem um compromisso profundo com o desenvolvimento social e econômico do Brasil, sempre com um olhar especial para os mais necessitados.