Após um mês, morte de torcedor do Botafogo-PB no RN segue sem solução

Spread the love

Eduardo Feliciano, torcedor do Botafogo-PB, morreu no dia 11 de agosto após dar entrada no hospital de Ceará-Mirim, na Grande Natal, cidade onde ele estava para acompanhar a partida válida pela Série C do campeonato Brasileiro. A causa da morte continua sendo investigada e um mês após, ainda aguarda o laudo do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) do Rio Grande do Norte.

Em contato com o Portal Paraíba.com.br, a assessoria de Comunicação da Polícia Civil do RN disse existir uma dificuldade em conduzir o inquérito pelo fato de que algumas testemunhas moram em João Pessoa e as oitivas serem feitas por meio de Carta Precatória.

A delegada Karen Lopes informou que foram ouvidos os policiais e funcionários que trabalharam no dia do jogo e está aguardando o retorno das Cartas Precatórias que mandou para a Polícia Civil da Paraíba, além disso, o laudo pericial do ITEP não foi concluído.

Entenda:

Eduardo era torcedor do Botafogo-PB e morreu após confronto com policiais militares nos arredores do estádio Barretão, localizado em Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal, no dia 11 de agosto.

Durante o enterro, a irmã do jovem afirmou que o torcedor não fez nada errado e que não era usuário de drogas, como foi sugerido no momento da internação no Rio Grande do Norte.

Apesar de não haver um laudo da perícia, a irmã disse que o botafoguense apresentava vários hematomas e ferimentos na região do tórax e da face e que morreu vítima de espancamento.