Comoção: Multidão acompanha sepultamento e se despede do cantor Gabriel Diniz

Spread the love

Milhares de pessoas acompanharam na tarde desta terça-feira (28) o sepultamento do cantor Gabriel Diniz que morreu na tarde de ontem vítima de um acidente aéreo no Estado de Sergipe.

O corpo foi colocado em um carro do Corpo de Bombeiros, percorreu várias ruas  e foi  acompanhado por uma multidão emocionada até o cemitério. Pelas ruas por onde o Cortejo passou as pessoas aplaudiam e gritavam o nome do cantor. 

Todo um sistema de segurança no transito foi montado pela Superintendência de Mobilidade Urbana da Capital, (SEMOB). A Polícia Militar também esteve presente para garantir a segurança das pessoas que participavam do cortejo. 

O corpo do cantor chegou ao Aeroporto Castro Pinto, em João Pessoa por volta das 3 horas da madrugada desta terça-feira e foi levado direto para o Ginásio de Esportes o Ronaldão, no bairro do Cristo, em João Pessoa, aonde foi velado.Foto: Juliny Barreto

Nas primeiras horas da manhã, o velório foi reservado para os familiares e amigos mais próximos e logo em seguida, aberto ao público. Até as 16 horas, horário em que o corpo deixou o Ronaldão com destino a um cemitério bairro José Américo para ser sepultado, milhares de pessoas passaram pelo local para dar o último adeus ao cantor que arrastou multidões no seus shows.Foto: Juliny Barreto

Cantores de renome nacional também compareceram ao velório e fizeram homenagens emocionantes ao cantor Gabriel Diniz a exemplo de Wesley Safadão e Mano Walter.

Sobre o acidente:  

O cantor Gabriel Diniz, conhecido pelo hit “Jenifer”, morreu nesta segunda-feira (27), aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe. Além dele, mais duas pessoas morreram.  Amigos de Gabriel Diniz reconheceram o corpo do artista entre as vítimas. 

A queda do avião está sendo investigada pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, com sede no Recife e que abrange o estado de Sergipe.

Segundo documentos achados no local do acidente ao lado do passaporte de Gabriel Diniz, a aeronave era um monomotor Piper prefixo PT-KLO, com capacidade para quatro lugares e registrado em nome do Aeroclube de Alagoas.

A aeronave, segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só pode ser usada para voos de instrução.

Aeronaves da categoria “Privada – Instrução” só podem ser usadas para instrução, adestramento de voo por aeroclubes, clubes ou escolas de aviação civil, segundo o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil. Isso significa que não podem ser utilizadas para táxi aéreo, por exemplo.

Uma moradora da região do acidente disse que o avião passou por cima da casa dela e caiu em seguida. Foi ouvido um estrondo nas imediações.

Perfil de Gabriel Diniz

Gabriel Diniz tinha 28 anos e nasceu em Campo Grande (MS). Ele foi criado em João Pessoa (PB), onde morava e teve uma banda com amigos da escola. GD, como era conhecido, era um astro do forró, mas transitava bem no sertanejo.

O estouro veio no segundo semestre do ano passado, com “Jenifer”, o grande hit do último verão. A música divertida sobre uma mulher encontrada no Tinder foi a primeira de Diniz a chegar ao topos das paradas de todo o Brasil.

Os maiores sucessos anteriores dele eram “Paraquedas”, com Jorge e Mateus (18 milhões de visualizações no YouTube) e “Acabou, acabou”, com Wesley Safadão (62 milhões). Ele tinha empresários em comum com Safadão.

“Jenifer” foi escrita pelo grupo de compositores Big Jhows, originalmente para Gusttavo Lima. A interpretação de GD deu um tom mais leve e quase humorístico à letra.

Gabriel conseguiu comprar de Gusttavo a exclusividade de “Jenifer”, pelo mesmo valor que ele tinha pago aos compositores (eles não revelam a quantia). Tudo de forma amigável.

“Desde 2015 eu vou para Goiânia atrás de compositores. Fui o primeiro cara que saiu do Nordeste nessa busca. Depois foi o pessoal todo pra Goiânia: Wesley, Xand, até Simone e Simaria. Abrimos esse espaço para músicos e compositores”, explicou o cantor ao G1, no começo deste ano.

“Ninguém achou que ia ser esse sucesso. Nem o pessoal do meu escritório, nem meu empresário. O Wesley [Safadão] não acreditou, ninguém acreditou. Foi uma aposta minha, sozinho mesmo.”

O primeiro álbum solo de Gabriel Diniz, “GD Verão”, foi lançado em novembro de 2016. No ano seguinte veio “GD”. Seu lançamento mais recente é “À Vontade”, lançado em fevereiro desse ano.

Redação